domingo, 10 de dezembro de 2017

Visitando Escolas

Recentemente estive com os alunos e professores da Escola Estadual Professor Ataliba Pires do Amaral na cidade de Limeira, Falei sobre o meu livro e batemos um papo sobre literatura.




sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Liga da Justiça - o Filme


(O Que Achamos?) - Liga da Justiça 
Por Ricardo Paes - Espaço Nerd

De: 0-5
Nota: 3.0 (BOM!)
Cenas pós-créditos: DUAS!
_____
Chega aos cinemas um dos filmes mais aguardados da VIDA, não só por fãs dos quadrinhos, mas sim por todos os que já passaram suas manhãs assistindo os desenhos produzidos pela Hanna – Barbera, que levou o nome de Superamigos, onde tivemos nosso primeiro contato com a Liga da Justiça, mesmo sem saber a relevância que isso teria hoje!
_____
As notícias que nos foram entregues durante a produção do filme da Liga, eram preocupantes – A saída do diretor Zack Snyder, problemas com Ben Affleck (Batman), a entrada de Joss Whedom e a necessidade de fazer alguns "ajustes", antes de levar o filme as telas. Enfim, o medo foi instalado!
Mas uma "LUZ" surgiu e algo bom e agradável aconteceu.
Os heróis no cinema, tanto DC quanto Marvel, estão vivendo o seu momento, alguns bons outros nem tanto, porém tudo o que é produzido é importante para o crescimento de uma franquia. Os erros são tão importantes quanto os acertos, eles lapidam e percorrem caminhos que levam para o sucesso!
Dito isso, vamos falar sobre Liga da Justiça - O Filme.
Apesar de acelerado, filme consegue passar uma boa impressão para nós fãs. O tom sombrio tão presente nos filmes anteriores de Snyder, já não faz parte dessa nova caminhada que ao meu ver, começou com a chegada da Amazona, Diana Prince, nossa Mulher-Maravilha.
Veja, o tom sombrio, não sumiu! Agora ele é apenas um coadjuvante tentando ter o seu espaço na produção.

A interação entre os heróis é convincente. Vê-los compartilhando suas habilidades já vale o ingresso. Algo muito bem inserido e que pode causar algum desconforto para alguns fãs é o humor.
Os personagens
Algo muito esperado também foi a inclusão de alguns novos heróis e claro, a formação da Liga da Justiça. Flash / Barry Allen (Ezra Miller), é um dos grandes acertos. Ele é sem dúvida o alívio cômico necessário do filme.
E por falar em humor, em minha opinião, Liga da Justiça, tem o seu próprio tom para a comédia. Tudo bem, ela pode até ter comprado os mesmos ingredientes que a Marvel, no entanto, cada um tem o seu modo de preparo.
Aquaman (Jason Mamoa) ou 'AquaDrogo', é uma boa surpresa, que deveria (e vai), ser mais explorado. Cyborg (Ray Fischer), não teve lá a sua importância, mas deveria!

Mulher-Maravilha e Batman, são o coração da produção. Seus diálogos e comportamentos, mudaram um pouco desde seu último encontro em Batman Vs Superman, isso é fato. Mas o que não muda, é a vontade de continuar assistindo ao bom trabalho desses dois.
Enfim... Superman!
O seu retorno é óbvio e sinceramente é um dos grandes momentos do filme. Apenas isso!
E as referências e homenagens?
Preciso ir direto para trilha sonora. Ela é uma das homenagens mais aparentes da produção.
Danny Elfman, que trabalhou com Tim Burton em Batman (1989), é o responsável por nos causar a mais gostosa nostalgia. As clássicas trilhas de Batman (1989) e Superman (1979), estão presentes em um contexto onde se fundem dando um novo corpo e dessa junção, uma nova trilha foi criada.
Gostei!
E sim, as referências não param por aí. Muitos fãs dos quadrinhos, irão identificar algumas e interessantes homenagens.
Mesmo com altos e baixos quanto aos efeitos visuais, um vilão fraco e uma narrativa problemática, Liga da Justiça, está sim, caminhando para um futuro promissor.